quarta-feira, 30 de julho de 2008

Selvagem Alado

hoje me bastava as asas aladas de um cavalo selvagem para me tirar da hora do dia
acalentar a exaustão viajar até o crespúsculo não findar
a me embriagar as nuvens
onde o fogo não arderá
e meus olhos terão toda a luz
que eu pudesse desposar.

uma imagem de jorge filipe pires

terça-feira, 29 de julho de 2008

Hipócritas do Escuro Dia


odeio os hipócritas
os que vivem mais e melhor, em especial.
eles têem um jeito todo próprio de se dar bem
hipócritas fazem mal e são maus
degeneram o ar puro, as palavras decentes
desencantam a vida.
odeio a hipocrisia, mãe dos males
dona da crueldade com os decentes
teimarei em não ser hipócrita
e sofro por isso
mas o sofrimento faz bem quando se acredita
que viver sendo verdadeiro
é ainda o mais aprazível.
vivo e morrerei odiando os hipócritas.
os hipócritas sombrios, enlameados
que são fadados a viver no silêncio
no insuportável silêncio de um dia escuro.
uma imagem de peopea

segunda-feira, 28 de julho de 2008

Labirinto

Um labirinto de palavras
nele quero me perder.
faço qualquer coisa para
reencontrar a minha fonte de inspiração.
isso é o meu gosto de viver
dizer sem medo de parecer medíocre
já cheguei a um ponto tal
que nada mais me inibe.

uma imagem de viana d'almeida

sábado, 26 de julho de 2008

Devir

penso em tudo que pode ser abandono.abandonado.abandonável
o poder do presente.o poder do ausente.o poder do não futuro
pedaço solto que largamos pelos dias afora
até quando o gosto amargo de poeira ?
até quando as descobertar encobertas?
por onde vou, o caminho pode ser a trilha lá atrás que não escolhi
que não quis. que não escrevi.
deixei os sedutores aspectos de um estar aqui
perdi o gosto
perdi o devir
devassei o que queria tanto abandonar




e não resta nada para guardar.
e o ego exige um sono reparador
mas é um medo profundo que toma o lugar das decisões.

* uma imagem de Ben Cooper

Então Invadem-me?


a imagem do ego humano. o homem destrói.o homem constrói.e alguns homens querem que tudo seja como eles construíram.ou então tudo será destruído não importa o preço que alguém terá de pagar. pensam alguns que invadir a cultura alheia e roubar-lhes suas tradições será submissamente aceitas. então pensando assim defendo o terrorismo? a vida de inocentes destinadas a interrupção? não. definitivamente, não. defendo o respeito ao alheio. às escolhas do alheio por mais incômodas que a nós nos pareça.

sexta-feira, 25 de julho de 2008

Clandestino

Sade Adu - Every Word



buscar onde viver dentro desta terra insana.clandestino eu que sou.