sábado, 2 de agosto de 2008

Expressar



Não deixo de me expressar
preciso dizer mesmo as vezes
não sabendo por onde começar
ou por vezes não as conseguir expressar
talvez lapsos de uma mudez , vício
de uma timidez, estúpida
afinal o que levarei daqui?
nada só o que consumi
em formatos de símbolos, signos
ou o que o valha
quero dizer
por mais medíocre que queira ser
a mudez tal qual a cegueira são
montanhas a serem escaladas
leva-se no peso das costas,das pernas, dos músculos
são por fim o peso morto
o maior
luto para deles me livrar
quero a dor, dos olhos e do coração, de enxergar
sentir essa dor para só assim certificar-me:
enxergo, digo
apesar do profundo singular que
minha vida está a se tornar.
uma imagem de billy goméz

Sem comentários: