domingo, 4 de janeiro de 2009

Solta as amarras


Meu ponto fraco
Amarras de gritos soltos
Não os dou - esse prazer vazio
São prazeres soltos, São prazeres mistos
Austeros prazeres
A devorar
Preencher o nada
Ela tem que o querer.
Que a satisfaça
A sua fome de apreender
A sua fome de prazer.

6 comentários:

Betty Branco Martins disse...

.olá:=)__________D.



agradeço a visita_______e palavras. volte sempre



.e também tenho que agradecer_____pelo facto de me dar a conhecer este tão belo "espaço"



.voltarei:=)






beijO_______________

SMA disse...

Sempre aprender
aqui
gostei
bom ano de 2009
.
.
.
bjo doce

Oliver Pickwick disse...

Os poemas de linguagem primorosa têm um "defeito": às vezes, nos desligamos do tema e nos concentramos em demaisa na estética da escrita. Contudo, estava prevenido e atento aos dois segmentos.
Soltar amarras é uma boa maneira de começar um novo ano.
Feliz 2009 para você!

Dois Rios disse...

Soltar as amarras e deixar-se prender
pelos prazeres soltos e mistos.
Soltar os gritos e deixar-se navegar
sem destino. Naufragar, emergir e
ancorar.

Beijo,
Inês

mateo disse...

Que se soltem... as amarras! Todas! De todos!

maré disse...

que se desprendam
da garganta

os gritos

não os guardes

sufocam

por vezes

tantas vezes!

um beijo