domingo, 22 de março de 2009

silêncio convencido


Tens o sabor da trufa
Tens o cheiro das brumas
Tens a beleza da terra
Tens o som da floresta...penso, às vezes.

E assim respeito o incompreensível de ti, porque és um mistério tão encantador
que não quero e nem preciso desvendar-te!
_
_

a imagem de uma trufa branca.a/d

3 comentários:

Dois Rios disse...

Algo por aqui anda tomando forma. Por exemplo, já sei que escrevo para um "querido", rsrs...

Há sabores, como os das trufas, que por si desvendam-se.

Beijos,
Inês

Dois Rios disse...

Oops! Faltou a palavra "só".

'que por si desvendam-se'

Sei que me fiz entender mas tenho que dar asas às minhas obsessões, rsrs...

Beijo,
Inês

Oliver Pickwick disse...

E quem precisa desvendar mistérios? A sua essência desapareceria.
Um abraço!