sábado, 2 de maio de 2009

In Natura


Não invejo os homens. Invejo sim, e saudavelmente, a natureza. Aquela que não transformaremos, porque estará para além de nossa ávida arrogância destruidora.
Esta, encantadora natureza; sonho radiante dos tempos é o poema do meu espírito.
_
_
uma imagem de Los Tiempos Perdidos

Sem comentários: