terça-feira, 22 de junho de 2010

Marcas




Há coisas que eu gostaria de jogar fora. Mas, algumas delas são infinitivamente difíceis de serem deitadas fora. Nunca fiz uma tatuagem, sempre temi ter marcas que fossem 'para sempre'. Porém hoje, descubro que não ter feito uma tatuagem foi um desperdício. Possuo marcas que nem me dava conta. Marcas que , por vezes nem percebi e outras que fizeram a mim tão bem. Uma delas é você. Estás nas marcas das canções, dos cheiros que acolhi e guardei, nos detalhes da luz, em todas as horas, supostas; no ar dos dias que acordo para lembrar, que acordo para não me perder  dentro dos sonhos, marcas de um tempo antigo na ligação, possibilitada por tanta criatividade, a  me colocar lado a lado de ti, ainda que um imenso mar de possibilidades, esteja entre nós, uma ponte infinita que me separa de ti tão realísticamente sentida... não tens idéia da falta que seu viver me faz...ao teu lado eu poderia até, ver o movimento da árvore, sentir o sabor da música, o gosto do vento, o calor da noite. Marcas. Tantas para ter.

_
_

uma imagem de William Bullimore